sexta-feira, 27 de abril de 2012

Mostra Curta IFF



Programação de hoje 27 de Abril de 2012
TV do Refeitório - 11:30h às 13h
filmes vencedores do 1º Festival Nacional de Cinema do IFF

categoria câmera celular não estudante
Censura - Direção: Fabrício Mira - Campos dos Goytacazes-RJ

categoria câmera celular estudante
O Pedinte - Direção Luciana cavalcante - estudante da FAAT - Atibaia-SP

catgoria câmera fotográfica digital não estudante
Missão Estelar - Direção: Raphaela Teles - Santos-SP

categoria câmera fotográfica digital estudante
Lugar Algum - Direção: Raoni Reis Novo - estudante da Universidade Federal de São Carlos - São Carlos-SP

categoria câmera Mini DV não estudante
Aloha - Direção: Paula Luana Maia e Nildo Ferreira - Santos-SP

categoria câmera Mini DV estudante
A Vontade - Direção: Luiz Felipe Berto e João Paulo Pacca - estudantes de Universidade Federal do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro-RJ

Menção Honrosa: Ditabranda - Direção: Felipe Vianna - Rio de Janeiro-RJ
nossos agradecimentos ao Instituto Querô(www.institutoquero.org) e ao Curta Santos (www.curtasantos.com.br) pelo grande apoio que nos deram na divulgação do Festival.

Produção: Laboratório de Cinema do IFF - Campus campos centro
Coordenação: Artur Gomes

terça-feira, 24 de abril de 2012

BRASÍLIA 52 ANOS DA CAPITAL DO PODER


“Nenhum rosto é tão surrealista quanto o verdadeiro rosto de uma cidade”
Walter Benjamin
 
 
Mais de cinqüenta anos depois, a bossa nova da arquitetura e do urbanismo,
mostra suas rugas e os sintomas de um envelhecimento precoce. O
símbolo maior da modernidade e da ideologia desenvolvimentista que
projetou o Brasil como um país novo, revela o que é a cidade moderna,
o lugar da afirmação e do poder da máquina e das restrições do domínio
público. Com uma malha rodoviária e amplos espaços que ultrapassam a
escala humana, Brasília foi concebida nas pranchetas de Oscar Niemeyer
e Lúcio Costa sob a orientação do presidente Juscelino Kubitschek para
responder ao desenvolvimento industrial, em particular, a indústria
automobilística em ascensão, e hoje representa o fim do sonho e das
ilusões desenvolvimentistas.
 
 
Sem dúvida, Brasília é uma das mais importantes contribuições
brasileira para a arte do século XX, juntamente com a Bossa Nova, a
Arte Concreta e o Cinema Novo, que resiste aos escândalos políticos
que assolam a capital. As estruturas de suas construções permanecem
intactas, o concreto armado parece eterno. Uma cidade cartesiana
implantada no interior do país, sob o cerrado, distante do litoral,
uma aventura quase que impossível. Nas palavras do critico de arte
Mário Pedrosa, "se Brasília foi uma imprudência, viva a imprudência".
A nova capital era uma resposta à crítica de um Brasil litoral, de
costas para o seu interior, desde os tempos do Marques de Pombal. Esta
experiência urbanística foi estimulada por uma opção de
desenvolvimento que se desejava para o Brasil o qual estamos sofrendo
suas conseqüências.
 
Mais do que uma simples cidade, Brasília é um discurso, símbolo de uma
nova situação que direcionou a vida e a economia do país. Uma cidade
com uma arquitetura governamental, monumental e moderna. O trançado
urbano e a arquitetura arte criaram a cidade como uma realidade
moderna, imagem e símbolo do Brasil industrial, país da tecnologia e
da democracia para os que dispõem de meios mecanizados para dominar os
grandes espaços vazios. A cidade que arquiteto francês, nascido na
Suíça e mestre dos arquitetos brasileiros, Le Corbusier não teve a
oportunidade e o privilégio de construir. O centro principal e
simbólico da capital do poder é a praça dos três poderes, na
organização do espaço as hierarquias e os interesses de classe não
ficam ausentes.
 
Falar de Brasília não se pode deixar de lado as manobras processadas
na economia e da política dos anos de 1950. “o avanço dos 50 anos em
5 anos” meta do governo JK. A sede de democracia, agitações, debates
inflamados e o avanço da indústria. A população vivia o impacto da
confiança no futuro. A nova capital refletia uma sociedade otimista
disposta a realizar utopias. Brasília foi pensada para ser um centro
político, cultural e administrativo para o desenvolvimento do
Centro-Oeste, mas não contava com o crescimento desordenado e
populacional, que acabou comprometendo o plano urbanístico de Lucio
Costa e trouxe os problemas e os desastres que assolam os grandes
centros urbanos. Com o regime militar, implantado em 1964, a cidade
criada em um período raro de democracia acreditando que a sua
localização no interior estaria mais protegida de ataques militares,
foi associada ao totalitarismo, mas resistiu com seu chame como uma
expressão artística que colocou o Brasil internacionalmente num
patamar de respeito.
 
Almandrade
(artista plástico, poeta e arquiteto)

Minc e IFF debatem criação de curso de produção cultural



Reunião no IFF em Campos.
O chefe da Representação Regional do Ministério da Cultura no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, Marcelo Velloso, reuniu-se, na última terça-feira (17/4), com a direção do Instituto Federal Fluminense de Educação, Ciência e Tecnologia (IFF), em Campos. O encontro, solicitado pela própria instituição, teve como tema principal a possível criação de um curso de produção cultural naquele município do Norte Fluminense.
Participaram do encontro a pró-reitora de Extensão Cultural, Paula Bastos; o pró-reitor de Ensino, Carlos Lima; o diretor geral do campus do IFF em Campos, Jefferson Manhães de Azevedo; a diretora do Centro de Cultura do IFF, Kátia Macabu; e a diretora de Ensino Superior, Aline Pires de Vasconcelos, além de outros coordenadores e diretores.
O chefe da Representação Regional do MinC fez um breve histórico da implantação dos cursos de produção cultural no estado . Velloso destacou que o Rio de Janeiro foi pioneiro nesta área e hoje é o estado com o maior número destes cursos em funcionamento no país. Ele aconselhou a direção do IFF a realizar uma pesquisa sobre a demanda existente no município em relação à área de produção cultural, antes de definir qual o perfil adequado para o curso.
Velloso destacou que a criação de cursos de capacitação é uma das principais demandas apresentadas pelos gestores , produtores e artistas nas duas Conferências Nacionais de Cultura já realizadas. E lembrou que várias metas do Plano Nacional de Cultura contemplam a qualificação de pessoal nas áreas de Arte e Cultura, incluindo a produção cultural.
O professor Jefferson Manhães manifestou interesse em trazer para o campus a discussão sobre a adoção de medidas para promover a economia criativa no Norte Fluminense. Ele lembrou que o IFF já oferece alguns cursos ligados a setores criativos, como o design e a arquitetura. Jefferson Manhães destacou que a região vive um momento de grande crescimento econômico, graças ao desenvolvimento da indústria do petróleo. E acrescentou que os municípios deveriam aproveitar o momento favorável para investir em outros vetores de desenvolvimento que vão além do petróleo, com destaque para a economia criativa.
Além da reunião, Marcelo Velloso visitou o campus do IFF, que dispõe de boa infraestrutura, como várias oficinas para atividades culturais, incluindo pintura e teatro, um estúdio de TV com equipamento moderno e emissora de rádio pela internet .
Ponto de cultura
Depois da visita ao IFF, o representante do MinC foi conhecer o ponto de cultura rural do Projeto de Assentamento de Zumbi dos Palmares. A instituição realiza cursos de alfabetização de jovens e adultos e várias oficinas de bordados, doces, capoeira e artesanato com material reciclado. Os representantes do grupo destacaram que o ingresso do projeto de assentamento na rede estadual de pontos de cultura demonstra o reconhecimento do governo do estado ao trabalho que eles desenvolvem junto aos produtores rurais da região.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

1º Festival Nacional de Cinema do IFF

Dia 20 - TV Da Concha - 11:30h às 13h

Estátua Viva - Poesia a 1 Real - Marcos Barhone filmado por Jiddu Saldanha em Bento Gonalves - RS

Fulinaimagem - curta com May Pasquetti, Érica Ferri e Dani Rauen cantando Esfinge, música de Rodrigo Bittencourtt e Artur Gomes - finalizado no Laboratório de Cinema do IFF - Campus Campos centro

O Homem de Ferro - cine teatro produzido pelo Núcleo de Produção Audiovisual de Taubaté-SP - Direção: Márcio Vaccari

A Minha Dor É Mais Que Uma Dor Cigana - cine teatro com trilha sonora de Edvaldo Santana, produzido pelo Núcleo de Produção Audiovisual de Taubaté-SP - Direção: Márcio Vaccari

Todas as Flores Tem Espinhos - curta produzido na Oficina Cine Vídeo e finalizado no Laboratório de Cinema do IFF - Campus Campos Centro
vídeo.clipes - Los Hermanos

TV Do Refeitório - 11:30h às 13:00h

De Catraia - direção: Damaris Ribeiro - Santos-RJ

Chapada - Direção: Valério Fonseca - Rio de Janeiro-RJ

Seu Arlindo Vai A Loucura - Direção: Raoni Reis Novo - São Carlos-RJ

Guarani Mbyá - Direção: Wladimir Santafé – Niteri-RJ

Auditório Cristina Bastos – 19h às 21h

Geraldo José – O Som Sem Barreiras – documentário sobre Geraldo José o papa da Sonoplastia do Cinema Nacional – Direção: Severino Dadá – Brasília-DF

Mostra Competitiva
Categoria Mini DV - Não Estudante

Aline na Ilha de Nexus – Direção: Alexandro Fernando – Campos dos Goytacazes-RJ

Aloha – documentário sobre surf para deficientes visuais Direção: Nildo Ferreira  e Paula Luana Maia– Santos-SP

Chapada a ditadura dos cabelos lisos põe em risco a vida de muitas mulheres – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro-RJ

De Catraia – Documentário sobre as pequenas embarcações que transportam trabalhadores no Porto de Santos – Direção: Damaris Ribeiro – Santos-SP

Faça Você Mesmo – filme sobre a prática de skate em Campos dos Goytacazes – Direção: Kelvin Klein

Guarani Mbyá – Direção: Wladimir Santafé – Niterói-RJ

Pegadas de Zila – filme com Rosa Maria Murtinho, sobre a vida e obra de Zila Mamede, poeta rio-grandense do norte que morreu afogada em 1985 – Direção: Valério Fonseca

produção: Laboratório de Cinema do IFF Campus Campos Centro
coordenação: Artur Gomes

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Sétima arte movimenta o IF Fluminense


O 1º Festival Nacional de Cinema do IFF começou na noite desta segunda-feira, 16 de abril. Programação segue durante toda a semana com mostras, debates e mini curso.
Sétima arte movimenta o IF Fluminense
Evento será realizado durante toda a semana no câmpus Campos-Centro do IFF. (Foto: Ferdinanda Maia)

O cenário remetia a uma noite de gala do cinema. Era o clima de sétima arte que ambientava o Instituto logo na entrada do Auditório Cristina Bastos, do câmpus Campos-Centro, onde foi realizada a abertura do evento.
 Tinha tapete vermelho, luzes e cortinas, e tinha também uma exposição montada com equipamentos antigos de vídeo como câmeras filmadoras, rolos de filmes, entre outros. Tudo para dar o tom da noite.
 Aos poucos, estudantes, servidores e comunidade enchiam o auditório na primeira noite do Festival. Até as cadeiras do local foram vestidas para o grande evento com uma capinha azul com as inscrições “1º Festival Nacional de Cinema do IFF”.
 Representando o Reitor, Luiz Augusto Caldas, a Pró-Reitora de Extensão, Paula Aparecida Martins Borges Bastos, agradeceu a presença de todos. “É muito bom ver o Instituto Federal Fluminense se mobilizando para a arte. Desejo que todos aproveitem o Festival”.
 O Diretor do câmpus Campos-Centro, Jefferson Manhães, enfatizou a importância do evento. “Precisamos ter uma formação ampliada, sintonizada com esse novo momento em que o vídeo e a imagem estão cada vez mais presentes”, disse.
 Jefferson ainda informou que diversas programações na área da cultura estão sendo planejadas para o ano de 2012 e que já existe a intenção de oferecer um curso na área de produção artístico-cultural.
 Artur Gomes iniciou sua fala contando a trajetória que tem com a Instituição, desde que foi aluno, passando por servidor e, agora, já aposentado, retornando a casa para realizar um sonho. Agradeceu, ainda, os muitos servidores envolvidos no “desafio de realizar o Festival” e completou: “É um sonho antigo e, felizmente, ele aconteceu”.
 Na abertura do evento foi apresentado o documentário “Ditabranda” com depoimentos de jornalistas sobre mortes e torturas no período da Ditadura Militar, com direção de Felipe Vianna, do Rio de Janeiro.
 Na Mostra Competitiva, categoria Câmera Fotográfica Digital – Não Estudante, foram apresentados: A Garrafa Mensageira – Direção: Luana Nascimento – Campos dos Goytacazes – RJ; A Maldição de Berenice – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro; Missão Estelar – Direção: Raphaela Teles – Santos-S.P.
 O vencedor da noite foi Missão Estelar, que conta a história de um menino cujo sonho é conhecer o espaço. Ao ver uma reportagem na televisão sobre a possibilidade de ir ao espaço pagando R$350 mil ele decide juntar o dinheiro vendendo doces, seus brinquedos novos e fazendo rifa, mas claro, sem ter sucesso. A premiação é um Notebook. 
 Participam da Comissão Julgadora do Festival Artur Gomes; o Professor de Fotografia da instituição, Diomarcelo Pessanha; o Coordenador do Departamento Multimídia e Eventos, Welliton Rangel; a Professora de Literatura, Edinalda Almeida; e a Professora de Geografia, Maria Amélia Correa.

Veja mais fotos do 1º dia AQUI

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Poesia Proibida



o preço atual
proíbes que me coma
mas pra ti estou de graça
pra ti não tenho preço
sou eu quem me ofereço
a ti:
músculo e osso
leva-me à boca
e completa o teu almoço


arturgomes
www.goytacity.blogspot.com

quarta-feira, 11 de abril de 2012

1° Festival Nacional de Cinema do IFF

Programação no Auditório Cristina Bastos

Dia 16 – 19:00 às 21:00
Ditabranda – Documentário com depoimentos de jornalistas sobre mortes e torturas no período da Ditadura Militar – Direção: Felipe Vianna – Rio de Janeiro
Mostra Competitiva
Categoria Câmera Fotográfica Digital – Não Estudante
A Garrafa Mensageira – Direção: Luana Nascimento – Campos dos Goytacazes – RJ
A Maldição de Berenice – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro
Missão Estelar – Direção: Raphaela Teles – Santos-SP

Dia 17 – 19:00 às 21:00
Ignorados – Documentário sobre moradores do Açu produzido pela Coordenação de Extensão – Núcleo de Criação Audiovisual – Produção e Pesquisa Profª Ana Maria A. Costa – Direção: Alexandro Florentino
Mostra Cinema Possível – Direção: Jiddu Saldanha – Cabo Frio-RJ
Mostra Competitiva
Categoria – Câmera Fotográfica digital – Estudante
A Vida Por Si Própria – Direção: Reynaldo Machado – São Fidélis- RJ – estudante do IFF – Campus Campos Centro
Água Com Gás – Direção: Luciana Cavalcante – Atibaia-São Paulo-SP – estudante da FAAT
Lugar Algum – Direção: Raoni Reis Novo – São Carlos-SP – estudante da Universidade Federal de São Carlos
Memórias – Direção: Jéssica Carvalho – São João da Barra-RJ – estudante do IFF – Campus São João da Barra
Quebra Cabeça – Direção: Luciana Cavalcante – Atibaia-SP – estudante da FAAT
Seu Arlindo Vai a Loucura – filme com Rosa Maria Murtinho e Mauro Mendonça, interpretando um casal na festa de comemoração das suas Bodas de Ouro - Direção: Raoni Reis Novo – São Carlos-SP – estudante da Universidade Federal de São Carlos
Trhómos – Direção: Elias Ribeiro – Campos dos Goytacazes – estudante do ISECENSA
Dia 18 – 19:00 às 21:00
Mostra Cinema Possível
No Caminho Com Ivan Cruz – Direção: Jiddu Saldanha – Cabo Frio-RJ
Compra Ouro Vende Ouro Quanto Vale a Natureza? – Documentário produzido pelo Insitu– IFF Campus Macaé – Direção: Caio Medeiros

Mostra Competitiva
Categoria Mini DV Estudante
A Noiva – Direção: Luciana Cavalcante – Atibaia-SP – estudante da FAAT
A Vontade – Direção: Luiz Felipe Berto e João Paulo Pacca– Rio de Janeiro-RJ – estudante da UFRJ
Derrubando Reis – Direção: Alice Diniz – Brasília-DF – estudante do Centro de Ensino Médio Setor Leste
Invisível – Direção: Walter Curvello – Itaperuna-RJ – estudante do IFF – Campus Itaperuna
O Cortiço – Direção: Reynaldo Machado – São Fidélis-RJ – estudante do IFF – Campus Campos Centro

Dia 19 – 18:00 às 20:00
Mesa de Debate sobre Cultura com a presença da Deputada Federal Jandira Feghali Presidente da Frente Parlamentar Mista de Defesa da Cultura
20:00 – Mostra Curta IFF
Mateiros – Direção: Alexandro Florentino – Campos dos Goytacazes-RJ
Viagem do Pontal ao Cantinho do Poeta – curta, com imagens captadas em 3 momentos distintos no Pontal em Atafona e no Bar Cantinho do Poeta em Campos dos Goytacazes - a Luiz Ribeiro in Memória – Direção: Artur Gomes
Confesso Que Vivi No Maranhão – filme com imagens captadas numa feira de rua em Imperatriz do Maranhão - Direção: Lilia Diniz e Alexandre Almeida – finalizado no Laboratório de cinema do IFF – Campus Campos Centro
O Poeta do Castelo – Documentário sobre vida e obra de Manuel Bandeira – Direção: Joaquim Pedro de Andrade

Dia 20 – 19:00 às 21:00h
Geraldo José – O Som Sem Barreiras – documentário sobre Geraldo José o papa da Sonoplastia do Cinema Nacional – Direção: Severino Dadá – Brasília-DF
Mostra Competitiva
Categoria Mini DV - Não Estudante
Aline na Ilha de Nexus – Direção: Alexandro Fernando – Campos dos Goytacazes-RJ
Aloha – documentário sobre surf para deficientes visuais Direção: Nildo Ferreira e Paula Luana Maia– Santos-SP
Chapada – a ditadura dos cabelos lisos põe em risco a vida de muitas mulheres – Direção: Valério Fonseca – Rio de Janeiro-RJ
De Catraia – Documentário sobre as pequenas embarcações que transportam trabalhadores no Porto de Santos – Direção: Damaris Ribeiro – Santos-SP
Faça Você Mesmo – filme sobre a prática de skate em Campos dos Goytacazes – Direção: Kelvin Klein
Guarani Mbyá – Direção: Wladimir Santafé – Niterói-RJ
Pegadas de Zila – filme com Rosa Maria Murtinho, sobre a vida e obra de Zila Mamede, poeta rio-grandense do norte que morreu afogada em 1985 – Direção: Valério Fonseca

Obs.: Diariamente exibições das Mostras Curta IFF e Cinema Possível das 10:00 às 12:00 e das 16:00 às 18:00h na TV da Concha e das 11:30 às 13:00 na TV do Refeitório
Mini Curso Cinema Possível – Direção do ator, mímico e cineasta Jiddu Saldanha
Dias 17, 18 e 19 – 15:00 às 17:00 – Local: Auditório Cristina Bastos
Aberto a toda comunidade do Campus
Inscrições antecipadas no Laboratório de Cinema

terça-feira, 10 de abril de 2012

1º Festival Nacional de Cinema do IFF



Programação Diária

Mostra Curta IFF - curtas produzidos na Oficina Cine Vídeo e Laboratório de Cinema  do IFF Campus Campos Centro e vídeo.clipes com o melhor da Música Popular Brasileira

TV na Concha: 10:00h às 12:00h e 16:00 às 18:00h

Mostra Cinema Possível - projeto criado pelo ator mímico e cineasta Jiddu Saldanha

TV  do Refeitório: 11:30h às 13:00h

Mostra Cinema Possível e Mostras Competitivas
Auditório Cristina Bastos: 19:00h às 20:00h

obs.: No dia 19 às 18:00h Mesa de Debate Sobre Cultura 
com a presença da Deputada Federal Jandira Fegalli 
Presidente da Frente Parlamentar de Cultura

festival visões periféricas

terça-feira, 3 de abril de 2012

1º Festival Nacional de Cinema do IFF


Mostra Curta IFF

Dia 9 de Abril de 2012
TV do Refeitório 11:30h às 13:00h

No Caminho Com Ivan Cruz – Documentário – Direção: Jiddu Saldanha – Cabo Frio

A Vontade – Direção: Luiz Felipe Berto – Rio de Janeiro

Aline Na Ilha de Nexus – Direção: Alexandro Florentino – Campos dos Goytacazes

Garrafa Mensageira – Direção: Luana Nascimento – Campos dos Goytaczes

Cefet – May Generation – Direção: Bruno Fortunato – estudante do IFF Campus Campos – Centro

TV na Concha 10:00h às 12:00h  e 16:00h às 18:00h

O Poeta do Castelo – Documentário sobre Manuel Bandeira – Direção: Joaquim Pedro de Andrade

Ignorados – Documentário sobre moradores do Açu – produzido pelo Núcleo de Produção Áudiovisual da UFF Campos - - Direção: Alexandro Florentino – Coordenação: Ana Maria A. Costa

A Poesia do Corpo em Movimento – produzido na Oficinas Cine Vídeo do IFF Campos Campos – centro e finalizado no Laboratório de Cinema

A Arte Existe Porque a Vida Não Basta – produzido e finalizado no Laboratório de Cinema do IFF Campus Campos – Centro – Direção: Artur Gomes

São Bernardo – Direção: Leon Hirsman

Produção: Laboratório de Cinema do IFF - Campus Campos - Centro
Coordenação: Artur Gomes

fulinaíma produções