quarta-feira, 28 de março de 2012

baby é cadelinha




devemos não ter pressa
a lâmina acesa sob o esterco de vênus
onde me perco mais me encontro menos
de tudo o que não sei
só fere mais quem menos sabe
sabre de mim baioneta estética
cortando os versos do teu descalabro

visto uma vaca triste como a tua cara

estrela cão gatilho morro:

a poesia é o salto de uma vara


disse-me uma vez só quem não me disse

ferve o olho do tigre enquanto plasma
letal a veia no líquido do além
cavalo máquina meu coração quando engatilho

devemos não ter pressa

a lâmina acesa sob os demônios de eros
onde minto mais porque não verus
fisto uma festa a mais que tua vera
cadela pão meu filho forro:

a poesia é o auto de uma fera


devemos não ter pressa

a lâmina acesa sob os panos
quem incesta?
perfume o odor final do melodrama
sobras de mim papel e resma
impressão letal dos meus dedos imprensados
misto uma merda a mais que tua garra
panela estrada grão socorro:

a poesia é o fausto de uma farra

 

Artur Gomes

Ato em São Paulo reivindica políticas públicas voltadas para a cultura

Manifestação contou com cerca de 50 coletivos artísticos componentes do movimento de teatro de grupos


Jade Percassi
De São Paulo (SP) Brasil de Fato

Artistas leram carta-denúncia em frente
ao Teatro Municipal - Foto: André Mürrer

  Nesta terça feira (27) Dia internacional do Teatro e Dia Nacional do Circo, cerca de 50 coletivos artísticos componentes do movimento de teatro de grupos de São Paulo realizaram um ato em frente ao Teatro Municipal de São Paulo.  A manifestação, de caráter festivo, buscou denunciar o descaso das políticas públicas para a cultura, especialmente em âmbito nacional.

A Secretaria Municipal de Cultura havia organizado uma celebração ao Dia Nacional do Circo no Teatro Municipal, com apresentações circenses e homenagem a Abelardo Pinto, o Piolin. Após a “Palhasseata” pelo arredores, palhaços e companhias circenses convidadas foram para o Café do Municipal, onde estava presente o secretário municipal da cultura, Carlos Augusto Machado Calil. Nesse momento, o “Coro de Nus” formado por uma banda e atores e atrizes (com figurino de placas com reivindicações) tentaram em vão entrar para ler seu manifesto e entregá-lo ao secretário.

A carta denúncia, lida nas escadarias do teatro, reunia questões referentes às políticas públicas voltadas para a cultura nas três esferas de governo (municipal, estadual e federal), cobrando a continuidade de políticas e programas estruturantes para uma arte pública que permitam à categoria efetivamente se organizar, e lembrando os mortos dessa luta.  

Três enormes alegorias, representando a ministra Ana de Hollanda, o secretário estadual de cultura Andrea Matarazzo e o secretário municipal de cultura, Carlos Calil, foram então submetidos ao ritual popular de malhação de Judas, acompanhado por batucada com entusiasmo pelos transeuntes. Um “Coro de Fúrias” finalizou o rito ateando fogo aos bonecos, sob uma chuva de aplausos e gritos de apoio do público. Os manifestantes seguiram por fim em cortejo até o Studio 184, na praça Roosevelt, onde se reuniram para avaliar a importância da mobilização. Muitas das cerca de 300 pessoas que participaram do ato estiveram presentes durante a ocupação da Funarte, em julho de 2011.

“Todos os anos, nos mobilizamos e nos desmobilizamos muitas vezes enquanto movimento, mas chegamos finalmente à conclusão de que esta nossa articulação só se consolida com a luta; nossas pautas continuam atuais e vamos continuar lutando” afirma Osvaldo Pinheiro, da Cia Estável.

terça-feira, 27 de março de 2012

Desoneração pró-indústria representa renúncia fiscal de R$ 850 mi

Ministro Guido Mantega (Fazenda) anuncia extensão da redução de impostos para linha branca e inclui móveis e luminárias no pacote. Objetivo é aquecer a economia até que crescimento atinja 5% no segundo semestre. O desafio é grande. O IBC-Br de janeiro, prévia do Produto Interno Bruto (PIB) divulgada pelo Banco Central, registrou queda de 0,13% ante dezembro.

São Paulo – O ministro Guido Mantega (Fazenda) anunciou nesta segunda-feira (26) a prorrogação, por mais três meses, da redução das alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidentes sobre refrigeradores, congeladores, máquinas de lavar e secar de uso doméstico, e fogões de cozinha, itens da chamada linha branca.

A desoneração, que terminaria no dia 31 de março, foi agora estendida para 30 de junho. Durante esse mesmo período, o governo também reduzirá as alíquotas do imposto para móveis, laminados PET para revestimentos, papel de parede, luminárias e lustres. O decreto ainda será publicado no Diário Oficial. No total, a renúncia fiscal é estimada em R$ 850 milhões.

Com essas medidas, o governo pretende reaquecer gradualmente a economia, de modo a obter um crescimento de 5% do PIB nos índices anualizados do segundo semestre. Em entrevista coletiva concedida em São Paulo, Mantega disse que os setores beneficiados pela desoneração terão de manter o nível de emprego.

“Não deve haver nenhuma dispensa de trabalhadores e até deverá haver novas contratações. Os preços têm que diminuir e as vendas tem que aumentar nesses setores”, afirmou o ministro.

Segundo estimativa do Ministério da Fazenda, a desoneração que atingiu a linha branca representou renúncia fiscal de R$ 361 milhões até agora. Com a extensão do prazo, serão mais R$ 271 milhões. A redução de impostos para móveis e laminados PET significa economia de R$ 198 milhões para a indústria, e no caso de papel de parede, luminárias e lustres, outros R$ 20 milhões.

Essas desonerações, que no total alcançam R$ 850 milhões, somam-se a outras, realizadas também em dezembro para diversos setores. Na época, o governo reduziu tributos para produtos da construção civil; desonerou PIS/Confins de massas; reduziu o IOF para pessoa física; eliminou tributo para aplicação de estrangeiros nas debêntures de infra-estrutura; e barateou o IOF sobre aplicações de estrangeiros em renda variável na Bolsa de Valores.

Apesar de todas essas medidas, os indicadores da atividade econômica ainda desanimam. Considerado uma prévia do comportamento do Produto Interno Bruto (PIB), o IBC-Br de janeiro, divulgado também na segunda-feira pelo Banco Central, registrou queda de 0,13% ante dezembro, na série com ajuste sazonal. Um alento é que, na comparação com janeiro de 2011, o IBC-Br apresentou expansão de 1,44%, na série sem ajuste sazonal.


Fotos: Arquivo

sexta-feira, 23 de março de 2012

Sarau Fulinaimagem - Artur Gomes


com um repertório variado que vai de Fernando Pessoa a Torquato Neto, passando por Paulo Leminski, Drummond, Ademir Assunção, Affonso Romano de Santanna e Ferreira Gullar,  Artur Gomes comanda no próximo sábado dia 31 de março das 20:00 às 23:00hs o Sarau Fulinaimagem na Creperia & Drinkeria ZOOM IN – Av Sernambetiba,  - Barra da Tijuca -  Rio de Janeiro. Você é nosso convidado. 

Endereço: Av. Sernambetiba/Lucio Costa ao lado do Posto 7 altura do número 5.200 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro


1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço jimmi hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis copacabana
procuro um mix da guitarra de santana
com os espinhos da rosa de Noel
artur gomes


TV Fulinaíma

www.youtube.com/tvfulinaima

 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Gente fina é outra coisa... Elis Regina


     
Considerada pelos críticos como uma das vozes mais viscerais da MPB Elis Regina será homenageada pela cantora Maria Fernanda no show “Gente fina é outra coisa...”, no ano que marca os 30 anos de seu falecimento.

O espetáculo acontece nesta quinta 22, às 20h, no Teatro do Sesc Campos. A entrada é franca.
        No compasso de “Gente fina é outra coisa... Elis Regina” Maria Fernanda & Cia apresentam com novas roupagens os grandes sucessos interpretados pela eterna Elis Regina. A apresentação tem no repertório canções de compositores eleitos por Elis. Entre eles Edu Lobo, Chico Buarque, João Bosco, Ivan Lins e Gilberto Gil.

– É com grande prazer que trago para o Sesc Campos este trabalho que reverencia a grandiosidade desta interprete maior da música brasileira. Elis foi, e, é um ser inexplicável em minha concepção cultural. Sua arte transcende a movimentos, estilos e afixa em nossos corações como o reflexo do talento puro e nato. Venham reviver o melhor de Elis Regina – convida Maria Fernanda.

Banda
“Gente fina é outra coisa... Elis Regina” tem como protagonistas a intérprete Maria Fernanda, o pianista e diretor musical Márcio Leal, o baixista Marcelo Silva e o baterista Gilberto Marinho.

terça-feira, 20 de março de 2012

com os dentes cravados na memória


Fulinaimagem

1

por enquanto
vou te amar assim em segredo
como se o sagrado fosse
o maior dos pecados originais
e a minha língua fosse
só furor dos canibais
e essa lua mansa fosse faca
a afiar os verso que ainda não fiz
e as brigas de amor que nunca quis
mesmo quando o projeto
aponta outra direção embaixo do nariz
e é mais concreto
que a argamassa do abstrato

por enquanto
vou te amar assim admirando o teu retrato
pensando a minha idade
e o que trago da cidade
embaixo as solas dos sapatos

2

o que trago embaixo as solas dos sapatos
bagana acesa sobra o cigarro é sarro
dentro do carro
ainda ouço jimmi hendrix quando quero
dancei bolero sampleando rock and roll
pra colher lírios há que se por o pé na lama
a seda pura foto síntese do papel
tem flor de lótus nos bordéis Copacabana
procuro um mix da guitarra de Santana
com os espinhos da Rosa de Noel

artur gomes