quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Um homem de palavras

Poeta que desbravou fronteiras e firmou seu nome em vários estados brasileiros, Artur Gomes traz de volta ao público campista seu talento nas artes gráficas por meio de oficinas de vídeos e criações cine-poéticas

_Livros_09P.jpg
Artur Gomes. Esse nome, dito assim, sem complementos, significa por si só. Poeta e artista reconhecido não só nas regiões Norte e Noroeste Fluminense, mas também em Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul, entre outros lugares, o campista, que nasceu na fazenda Cacomanga, há muitos anos fez com que sua paixão pela palavra não ficasse restrita ao papel, mas atingisse, também, meios de expressão como o teatro e o audiovisual, que espalharam sua arte país afora. Hoje, no entanto, é a cidade natal que está acompanhando o retorno de Artur às várias atividades pelas quais já fora reconhecido.

Atualmente, ele está de volta ao Instituto Federal Fluminense (IFF), por onde se aposentou e por onde exerceu, por vários anos, as atividades de técnico em artes gráficas e professor de artes cênicas. O retorno é marcado pelo Projeto Multimídia Cine-Vídeo, em que Artur ministra oficinas de produção áudio-visual voltadas para os alunos que necessitam da apreensão da linguagem em vídeo, tão fundamental nos tempos modernos, como explica Artur. "Tenho trabalhado com os alunos que já estão fazendo oficina de fotografia, pois já possuem um domínio de câmera. Mas as oficinas são espontâneas, e o importante é ensinar o aluno a aproveitar as possibilidades da ferramenta", explica Artur. "Hoje, as maiores produções em vídeo do mundo, desde catástrofes até acontecimentos banais da indústria do entretenimento são feitas por amadores. Por isso a importância da apreensão da linguagem em vídeo", diz.

O projeto no IFF, no entanto, é pouco para dar conta da sede de Artur Gomes por cultura. Outra atividade em que ele mergulhou de cabeça foi o Projeto Conexões Urbanas, promovido pelo Sesc Rio – Unidade Campos, onde também se utiliza de sua experiência com o audiovisual. "O Conexões Urbanas acontece no Ciep Wilson Batista, aos sábados, com oficinas de skate, graffiti, dança de rua, basquete de rua e hip hop. Nele, estou captando imagens para, depois, produzir um vídeo e realizar uma mostra, que será exibida no Ciep e no Sesc. É outra forma de difundir a importância do audiovisual", observou.

Mas, apesar do aporte empírico e técnico na área visual estar em evidência, Artur Gomes é, foi e sempre será reconhecido também pelo trabalho como poeta. Com mais de 10 livros e festivais de poesia conquistados, além de dezenas de recitais, saraus e eventos teatrais, o poeta não deixa sua verve oculta nesse momento de retorno. "No mês passado, apresentei, no Palácio da Cultura, o ‘Artur Gomes Poesia In Concert’, espetáculo multimídia em que recitei poemas meus e de outros autores que julgo fundamentais, como Torquato Neto e Paulo Leminski, contando, ainda, com a participação do músico Mateus Nicolau. A poesia sempre fará parte da minha vida, pois é uma paixão que vem desde os 14 anos", revelou.

A poesia de Artur, que sempre caminhou rente entre o amor pela palavra e pelas causas sociais, pode ser exposta pelos versos de Cacomanga, que ilustram a sua propensão lírica: "Ali nasci / Minha infância era só canaviais / Ali mesmo aprendi / A conhecer os donos de fazenda / E odiar os generais". Eis Artur Gomes. Sem retoques.
Matéria realizada em: 18/08/11


Redação
maniadesaude@jornalmaniadesaude.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário